14 de fev. de 2009

RISCO DE DEPRESSÃO ECONÔMICA NOS EUA

.

.
por Pedro Luso de Carvalho


O país mais poderoso do mundo está com as barbas de molho, com temor de que se repita o crash da Bolsa de Nova York, a chamada Quinta-feira Negra, quando, no dia 24 de outubro de 1929, as ações começaram a despencar, causando o maior desastre econômico de todos os tempos - as principais ações da Bolsa perderam até 90% de seu valor -, resultando na quebra de milhares de bancos e no fechamento do comércio, com investidores desesperados, muitos deles levados ao paroxismo do suicídio.


O que vemos hoje nos Estados Unidos é uma situação econômica similar, com um sinal de quebra, segundo noticiam os jornais, com seus poderosos bancos indo para o brejo, em decorrência das dívidas hipotecárias, e com suas Bolsas de Valores no vermelho, por um lado, e, por outro, o Governo disposto a injetar no mercado milhões de dólares para salvar o país dessa grande crise econômica, que parece repetir a política implantada por Franklin D. Roosevelt, quando se viu ante a dramática crise econômica, que se iniciou em 1929.
.

O então presidente dos Estados Unidos, Franklin D. Roosevelt, fortemente influenciado pelas teorias econômicas de dois economistas ingleses, John Stuart Mill e John Maynard Keynes, concebeu um plano para salvar os Estados Unidos, a partir da Grande Depressão. Stuart Mill sempre foi adepto da expansão do governo, e Keynes acreditava na lei da oferta e procura; daí ter o New Deal se aproveitado dessas teorias para estabilizar o mercado.


A respeito de Roosevelt, Keynes escreveu um artigo no Daily Mail , em 4 de julho de 1933: “Há muito tempo que um estadista não destruía teias de aranha com a coragem com que o fez, ontem, o presidente dos Estados Unidos... Sua mensagem é substancialmente um desafio a nós lançado para que decidamos entre continuar por velhos caminhos ou procurar novos; novos para estadistas e banqueiros, mas não para o pensamento, pois que conduzem à moeda equilibrada do futuro, cujo exame tem sido o argumento central da economia pós-bélica”.
.

Quanto à participação de Keynes no plano de recuperação da economia depois da Quinta-feira Negra, esta não era aceita pacificamente pelos norte-americanos, ao contrário: “Em grandes círculos dos Estados Unidos, o nome de Keynes tornou-se objeto de ódio. Muitos, não estando preparados, sem poderem distinguir os aspectos do New Deal de caráter Keynesiano dos que não o eram, atiraram a Keynes a responsabilidade de tudo que mais odiavam... Os partidários do laissez-fair eram, naturalmente, levados a denunciar Keynes, como este os denunciava” (R. F. Harrod, A Vida de J.M. Keynes, Einaudi, Turim, 1965).


O New Deal - preleciona Schlesinger jr. - era, em parte, inspirado por um sentimento defensivo: a determinação de proteger as liberdades e as oportunidades americanas da fúria do desemprego e do desespero. Grande parte dos Cem Dias foi um frenético esforço para harmonizar o sistema americano. Todavia, dali decorreu uma iniciativa que se erguia como modelo da melhor América, que homens completamente dedicados a ela tinham podido criar. A aprovação do Tennesee Valley Authority Act, ocorrida a 18 de maio de 1933. Talvez nenhuma das leis aprovadas durante os Cem Dias expressasse mais apaixonadamente um dos maiores interesses do presidente. Este interesse dependia só, em parte, do amor que Roosevelt sempre nutrira pela terra, as florestas, as águas. Provinha também da sua procura de um melhor sistema de vida nacional”. (Arthur M. Schlesinger jr., The Vital Center, Boston: Houghton Mifflin Company, 1949.)
.

Esperam os Estados Unidos, nos dias que correm, que o seu novo presidente, Barack Obama, possa, inspirado no seu colega Franklin Delano Roosevelt, impedir que os norte-americanos venham passar por privações semelhantes às ocorridas nos anos de 1930, quando poucas eram as esperanças de a economia recuperar-se. Quem sabe ele encontre um John Maynard Keynes para mostrar-lhe uma luz no final do túnel.
.

11 comentários:

  1. Pois é meu amigo blogueiro, Deus queira mesmo que Obama consiga se safar desta crise que a todos nós atinge. Ele entra para o governo em um momento muito difícil por mmais jovem e cheio de vontade me acertar que possa ter e acredito que tenha. Interessante é que acredito muito nele, milagre ele não vai fazer, mas creio que fará todo o possível para deixar a marca do seu nome e de sua passagem como um grande cara que os EUA tiveram. É aí que seus pensamento possa estar certo. Vamos acreditar que ele será inspirado e conseguirá sair desta para o bem de todos nós.

    Incrível é que o Lula, faz com a Dilma, sua candidata, a campanha em pleno governo, coisa fora da Lei, mas para presidente para que tudo pode, e ele sabe muito bem que ela vai pegar um pepino do tamanho de um bonde... pq será que ele faz tanta questão que ela seja a sua Bom domingo, fique com Deus, e sorte pra nós. CON

    ResponderExcluir
  2. Hola, pasando a saludar y tambien para invitarte a que pases y veas mi blog a ver si encuentras algo de tu agrado y si te gusta intercambiemos enlaces, una suerte de fucionar dendritas o algo asi diria yo,je.
    Saludos y hasta la proxima.

    ResponderExcluir
  3. Estou só batendo o ponto!!!
    Vim conhecer o seu cantinho; e estou adorando, serei presença constante aqui.
    Parabéns...

    ResponderExcluir
  4. LISBOA = PORTUGAL

    Olá Pedro

    Aqui estou de novo. Há já uns tempos que não vinha visitar-te. Cheguei agora e continuo a gostar do que encontro. É sem dúvida um bom blogue. Renovo os parabéns. Prometo-te que voltarei, se possível com mais regularidade e assiduidade. Relembro-te, ainda, que estou a «coleccionar» - com muito boa intenção, muito prazer e muita honra - Seguidores. Ora eles estão a fugir. Dizem-me é malandrice do sistema blogger e que anda na blogosfera um grande reboliço. Não sei. O que é verdade é que bazam…

    Hoje, porem, quero informar-te que tenho postada no meu blogue a história macabra de um tiro que deram no meu neto número dois, o Rodrigo que vai a caminho dos 13 nos. Boa praça. Permito-me fazê-lo para alertar as pessoas e tentar evitar que lhes sucedam estórias inqualificáveis como esta. Desculpa-me a chatice, mas é com boa intenção, como compreenderás.

    Na quarta-feira 17, ele ia a sair da escola pelas quase três da tarde. Sentiu uma «ferroada». Mas, nada de abelha. Fora um chumbo de um tiro de pistola ou espingarda de ar. Ambulância, hospital, radiografia, depois uma TAC, tinha o pequeno projéctil alojado no lado esquerdo do pescoço. Os médicos decidiram não o operar, pois que a posição do projéctil não aconselhava a intervenção. Estava – e está – muito próximo da jugular. Podia ter sido mortal. Felizmente, o Rodas agora está bem. Ainda que tenha de fazer novos exames para ver se o chumbo se moveu. «Brincadeira» de Carnaval? Um tarado a disparar sobre as pessoas? De manhã, uma Senhora fora atingida, no mesmo local, numa perna. Estúpida e criminosa coisa, digo eu.

    Está tudo n’A Minha Travessa. Se quiseres vai lá, e deixa cumentário, com o…

    Abs = abraços

    ResponderExcluir
  5. A crise nos países em desenvolvimento calcula se que já perdeu cerca um bilhäo dollar em desenvolvimento avalia o FMI. Além disso, permite se que em torno de 50 milhöes de Pessoas que com apenas 2 dollar por dia para viver, sobreviver. Até mesmo o Japäo está metido numa profunda crise, mesmo injetando 100 Mrd. Dollar. O banco mundial solicita em todo caso novos meios de protecäo para os países em desenvolvimento para superar a crise, assim bem como 0,7 porcento do programa dos países industrializados a serem preparados e ajudados com este dinheiro e assim poderemos dormir sossegados.
    Em outras palavras, nós necessitamos exatamente refletir, como nós iremos manusear Mercado global financeiro, apesar de näo estar claro como será um pesadelo para o Brasil entrar de novo numa crise como foi 1990 depois de tudo ter feito. Como reagir, ainda näo está claro. De qualquer forma sabemos e conhecemos como é perigosa a globalizacao financeira, isto é fato. Estou convencido que a nossa estrutura está preparada para superar e vencer esta barreira graduando um claro olhar do Ser Humano que se apresenta, remexe e assenta.
    No Banku.
    Hasta la vista Baby.

    ResponderExcluir
  6. Marcos Miorinni21:11

    Olá Pedro, é uma grande satisfação tê-lo acompanhando meu blog.

    Abraços Literários
    Marcos Miorinni

    porentreletras
    janelasetravessias
    oficinadefragmentos

    ResponderExcluir
  7. É com grande expectativa, que o povo americano aguarda as primeiras medidadas do novo presidente. Que Barack Obama não nos decepcione, pois o mundo está cheio de esperança...

    Um abraço,
    Armando

    ResponderExcluir
  8. Pedro, cheguei por aqui através do blog do Marcos e da Tais. A minha área de interesse é literatura e me identifiquei bastante com os textos e temas da sua página. Voltarei com mais calma, mas já estou acompanhando o seu blog com interesse. Parabéns e continue com o bom trabalho.

    ResponderExcluir
  9. Obrigada por acompanhar meu blog e já sou tua seguidora.

    um grande abraço

    ResponderExcluir
  10. Pedro Luso de Carvalho, em primeiro desejo agradecer sua distinta atenção em compartilhar meu espaço com o seu.

    E, aqui visitando, percebo estar diante dum espaço altamente cultural , onde suas matérias que são um sinopse duma realidade vivida nos dias de hoje, meus cumprimentos, desejando-lhe sempre, muito sucesso , com admiração,

    Efigênia Coutinho

    ResponderExcluir
  11. OLÁ PEDRO!
    Obrigado por acompanhar meu blog!
    Encontrei várias coisas interessantes no seu blog, com certeza vou fazer leituras proveitosas por aqui.

    Cada vez que alguém visita meu blog, me sinto incentivada a continuar, porque as vezes desanima, pelo fato de que a maioria das pessoas de 20 anos não estão preocupadas com os assuntos de meu interesse.

    Posso ser um exército de uma pessoa só, com uma arma de força simbólica chamada A Bolha de Sabão, Mas eu não desisto, talvez seja por estar na idade dos ideais ... Porém, peço sempre a Deus que nunca tire de mim essa sede de mudança cultural!

    Um abraço!
    Natália

    ResponderExcluir


Obrigado a todos os amigos leitores.
Pedro