24 de ago de 2008

DORIVAL CAYMMI DEIXA SAUDADE



por Pedro Luso de Carvalho

Neste mês teve festa no céu para Dorival Caymmi, que viveu por aqui por 94 anos, compondo e cantando a beleza da Bahia – suas mulatas e suas praias. Lá estavam à sua espera outros artistas brasileiros, com suas músicas inesquecíveis: Villa-Lobos com o Trenzinho Caipira, Ernesto Nazareth com Apanhei-te Cavaquinho, Noel Rosa com Feitio de Oração, Ataulfo Alves com Leva Meu Samba, Ary Barroso com É Luxo Só, Pixinguinha, com Carinhoso, Jacob do Bandolim com Vibrações, Herivelto Martins com Praça Onze, Nelson Cavaquinho com A Flor e o Espinho, Lupicínio Rodrigues com Esses Moços, Cartola com Fita Meus Olhos, Baden Powell com Samba Triste, Vinícius de Moraes com Garota de Ipanema, Tom Jobim com Águas de Março.


É claro que deixei de mencionar outros grandes nomes de músicos brasileiros, que também fazem parte da festa dedicada a Dorival Caymmi; mas, acho que os mencionados dão bem uma idéia desse encontro. Todos estavam lá, esperando para ouvir a voz suave, grave e intimista de Caymmi, na magnífica interpretação de suas composições, como Marina, Lá Vem a Baiana, O Vento (Chamar o Vento), Festa de Rua, A Lenda do Abaeté, Saudade de Itapoã, Modinha, Cantiga, Meu Menino, Acalanto, A Jangada Voltou Só, e tantas outras composições suas, que por aqui na terra não serão esquecidas.


Mas, nessa festa no céu, dedicada a Caymmi, não poderia faltar mulher, que, com o mar, foi sua constante fonte de inspiração. Lá estavam elas, para prestar homenagem a esse gênio da música: Chiquinha Gonzaga, Dalva de Oliveira, Carmen Miranda, Elizeth Cardoso, Maysa, Clara Nunes, Dolores Duran, Elis Regina e outras, que estão bem representadas por estas. O pessoal da Jovem Guarda certamente diria que deram a Caymmi "Uma Festa de Arromba". - Saravá, irmãozinho! Era o Vinícius a saudá-lo.