3 de jan de 2009

JOSÉ SARAMAGO E SEU NOVO LIVRO

.


-
por Pedro Luso de Carvalho


Acho que todas as pessoas que se interessam pela literatura estiveram preocupadas com a saúde de José Saramago, em parte do ano de 2007 e nos últimos meses do primeiro semestre de 2008. Em algumas fotos de Saramago, mostradas por alguns jornais e revistas, víamos o escritor muito magro e abatido. Saramago parecia ter envelhecido muito nesse espaço de tempo.Vi, pois, com preocupação as fotos que foram tiradas do escritor durante a sua doença (ou quando já convalescia).


Quando publiquei este texto no meu outro blog
, disse que naquela ocasião as fotos mais recentes do escritor português mostravam que os problemas respiratórios haviam cedido, e que podíamos vê-lo com melhor aparência. Falei da agradável surpresa que tive com a sua convalescença, e que a essa boa notícia se somava outra, o lançamento da novela A viagem do elefante, que Saramago autografou. O livro foi escrito no final de 2007, quando o escritor se encontrava hospitalizado. Pilar Del Rio, mulher de Saramago contou, na ilha de Lanzarote onde vive o casal, que a novela é uma reflexão sobre o sentimento da ‘compaixão solidária’.
.

A novela, que Saramago define como ‘um conto’, descreve a viagem épica, e ao mesmo tempo prosaica e jovial de um elefante asiático chamado Salomóm, que, no século XIX, percorreu mais da metade da Europa, conta a jornalista Pilar Del Rio; e acrescenta que a história se baseia em fatos da época de Maximiliano da Áustria, que nasceu em Viena, foi nomeado imperador do México em 1864 e fuzilado em 1867. O livro A viagem do elefante contém 240 páginas, e parte do texto pode ser lido no blog de sua Fundação.


Falando pelo marido, Pilar diz que o leitor vai encontrar ironia, sarcasmo, beleza em estado puro e a responsabilidade de escrever. Diz mais: e, como já se tornou característico do Prêmio Nobel de Literatura de 1998, também em 'A Viagem do Elefante' ele pontua de acordo com suas próprias regras. Pilar conclui: os diálogos se intercalam na narrativa, um todo que o leitor tem que ordenar segundo sua respiração, que dessa forma, Saramago continuamente implica o leitor no texto, “porque escrever, como ler, não são ações inocentes”.


Então, neste início de 2009, não apenas podemos ler A viagem do elefante, como podemos esperar que Saramago nos surpreenda mais uma vez com um novo livro. Resta-nos, pois, desejar ao escritor e à sua esposa Pilar Del Rio, que desfrutem este ano com saúde, que é o mais importante.
.