25 de jun de 2009

FREDDIE HUBBARD, UMA LENDA DO JAZZ






por Pedro Luso de Carvalho


O jornal Globo.com. noticiou na sua seção de Música/Jazz, em 30 de dezembro de 2008: "Morre a lenda do jazz Freddie Hubbard . O trompetista tocou com John Coltrane e Ornette Coleman. Hubbard iniciou a carreira em 1958 e influenciou uma geração de jazzistas.



Freddie Hubbard, o jazzista norte-americano ganhador do Grammy cujo estilo influenciou toda uma geração de trompetistas e que colaborou com artistas como Ornette Coleman, John Coltrane e Sonny Rollins, morreu nesta segunda-feira (29), um mês após sofrer um ataque cardíaco. Ele tinha 70 anos de idade.


Segundo seu empresário, o também trompetista David Weiss, do New Jazz Composers Octet, Hubbard morreu no Sherman Oaks Hospital. Ele havia sido hospitalizado após um ataque cardíaco no dia 26 de novembro.


Figura importante nos círculos de jazz, Hubbard tocou em centenas de discos, numa carreira que começou em 1958, ano em que chegou em Nova York, vindo de sua cidade natal Indianápolis, onde ele estudou no Arthur Jordan Conservatory of Music e com a Sinfônica de Indianápolis.


Logo ele começou a andar com lendas do jazz como Thelonious Monk, Miles Davis, Cannonball Adderley e Coltrane. “Conheci Trane (apelido de John Coltrane) numa jam session na casa de Count Basie, no Harlem, em 1958”, contou Hubbard à revista especializada Down Beat em 1995. “Ele disse: ‘Por que você não chega mais e vamos tentar ensaiar um pouco’. Eu quase fiquei louco. Imagine, um garoto de 20 anos de idade tocando com John Coltrane. Ele me ajudou muito, e trabalhamos bastante juntos”.
 

Nos seus primeiros trabalhos, que incluem os álbuns Open Sesame e Goin' up  lançados pelo selo Blue Note, a influência de Davis e outros no trabalho de Hubbard é obvia, disse Weiss. Bem em um par de anos ele desenvolveria um trabalho único, que influenciaria uma geração de músicos, incluindo Wynton Marsalis.


“Ele influenciou todos os trompetistas que vieram depois dele”, disse Marsalis. “Certamente eu ouvi muito do seu trabalho... Todos nós o ouvíamos. Ele tem esse som alto, e um grande senso de ritmo e tempo e a grande marca do seu estilo é uma exuberância. Sua técnica é exuberante”.


Hubbard tocou em mais de 300 discos, incluindo seus próprios álbuns e em bandas de apoio de outros artistas. Ele ganhou um Grammy em 1972 como melhor performance de jazz em grupo, pelo disco First light.