28 de jan. de 2009

MORRE O ESCRITOR JOHN UPDIKE

.


.
por Pedro Luso de Carvalho



.
No dia 27 de janeiro deste ano, morreu o escritor estadunidense John Updike, aos 76 anos. Câncer no pulmão, foi a causa da morte de Updike, doença contra a qual lutava há alguns anos, segundo informação de seu editor Alfred A. Knopf, ao The New York Times. Updike Era considerado um dos intelectuais mais influentes dos Estados Unidos durante a segunda metade do século 20. Na literatura norte-americana contemporânea, ombreava-se com grandes nomes do romance como Saul Bellow e Philip Roth, entre outros. O escritor residiu em Beverly Farms, Massachusetts (USA).


John Hoyer Updike nasceu 18 de março de 1932, na pequena cidade de Shillington, Pennsylvania (EUA). Formou-se em Harvard em 1954, e no mesmo ano residiu por um ano na Inglaterra, onde foi estudar belas-artes. De 1955 a 1957, fez parte da equipe de redação da revista The New Yorker, para a qual contribuiu com poemas, contos, ensaios e resenhas. Destacou-se também como cronista, crítico literário e ensaísta no The New York Review of Books. Em 1957, mudou-se para Massachusetts.


Escreveu sobre a América, que ressurgiu com ímpeto depois da Segunda Guerra Mundial - e que começava a esquecer a Grande Depressão. E foi nessa época, que passou pelo pessimismo com crash da Bolsa de 1929 ao otimismo dos anos cinqüenta, que cresceu o jovem Updike no seio de uma família protestante da Pennsylvania, e tornou-se profundo conhecedor da sociedade estadunidense. Nos sessenta anos que se seguiriam, escreve sobre essa sociedade que veria o surgimento da luta pelos direitos civis e a oposição à guerra do Vietnã.
.
.
Updike foi um autor prolifero, com mais de 50 livros, dentre eles, 25 romances e mais de 12 livros de contos, além de livros de poesia, ensaio e teatro; toda sua obra abrange o período de tempo que compreende a Segunda Guerra Mundial até os dias atuais. Era exigente no tocante a qualidade de seu texto, tanto na sua produção ficcional como na sua produção como crítico literário e ensaísta. Foi ganhador do prêmio Pulitzer (por duas vezes), do National Book Award e do National Critics Circle Award.=
.
.
Dentre os muitos romances que Updike escreveu, destaca-se a famosa saga do Coelho Angstron, um brilhante painel da cultura e da sociedade norte-americana nas últimas décadas. Updike era um escritor de larga experiência, com surpreendente talento para apreender detalhes e riquezas do quotidiano. No Brasil, alguns livros do escritor foram editados pela Companhia das Letras: Coelho corre, Coelho cai, Brazil, Memórias em braco (romances); Bem perto da costa (ensaios); e Consciência à flor da pele (memórias), entre outros. Corre coelho também foi publicado pela Editora Civilização.
.

7 comentários:

  1. Pedro

    Quando morre um escritor, como Jonh Updike, é uma grande voz da humanidade, que se cala. Ficam as suas obras, a inquitude do pensamento escritos, para a posterioridade.

    Sobre epilépsia, posso dizer que que assiste amiudadas vezes a espasmos do companheiro, precisa de ser muitos forte interiormente. Quando médico me disse, não ir haver mais, fiquei atónito, senti-me vencedor e também curado.
    Iria viver ainda a maior aventura da vida, ser entregue á família em estado terminal e eis-me.
    O inverado optimismo a revolver montanhas!
    Abraço
    Daniel

    ResponderExcluir
  2. Só passei para te agradecer pela imensa simpatia e dizer que logo eu te seguirei também. Bjus CON DUARTE

    ResponderExcluir
  3. Entre os seus blogues decidi-me por este, por ser panorâmico... Julgo ter escolhido bem, porque gostei. Com tempo, irei consultando os outros...
    Por agora
    um abraço.
    António

    ResponderExcluir
  4. Um grande escritor se eterniza por suas obras!

    Pedro, gosto muito de acompanhar seu Blog, Panorama, tão atual e informativo. Parabéns.

    Passa lá no meu blog, na última postagem, deixei um mimo para você. Embora não me conheça, visito seu blog assiduamente, porque sei que encontrarei sempre uma boa notícia, uma crônica, uma atualidade.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Quando um grande escritor se vai fica vivo em palavras. Um abraço, obrigado por visitar meu blog. Alicia

    ResponderExcluir
  6. A desejar um bom Domingo.

    Ab.

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pela excelente postagem sobre Updike. O livro que você destacou é realmente um clássico.

    Desculpe estar comentando com algum atraso, mas tive uma semana de férias que "atrapalhou" minhas leituras virtuais.

    ResponderExcluir


Obrigado a todos os amigos leitores.
Pedro