6 de fev de 2014

[Conto] LEON ELIACHAR – Quarto de Hotel



  
– PEDRO LUSO DE CARVALHO

LEON ELIACHAR nasceu no Cairo, Egito, em 1922. Dizia ser brasileiro desde que chegou ao Brasil, aos dez meses de idade. Contava que passou 35 anos tratando de sua naturalização. Para ele, a sua carreira de criança começou quando quebrou a cabeça, aos dois anos de idade; e que começou a sua carreira de adulto, quando passou a fazer humorismo ("passei a quebrar a cabeça diariamente").
Assim Eliachar descreveu as várias atividades, pelas quais passou: "Tive vários empregos: ajudante de balcão, ajudante de escritório, ajudante de diretor de cinema, ajudante de diretor de revista, ajudante de diretor de jornal. Um dia resolvi ajudar a mim mesmo sem a humilhação de ingressar na política: comecei a fazer gracinhas - fora da Câmara”.
Leon Eliachar teve morte trágica. Foi assassinado a mando de um vereador paranaense em 1987, para vingar-se do adultério de sua mulher com o escritor. O mandante do crime, o executor e os demais cúmplices foram condenados por homicídio pelo Tribunal do Júri.
Segue o conto Quarto de Hotel, de Leon Eliachar,(In, Eliachar, Leon. O homem ao quadrado. São Paulo: Círculo do Livro, p. 25):


QUARTO DE HOTEL
 – LEON ELIACHAR


Quando o gerente, atendendo a reclamação dos outros hóspedes, chegou à porta do 505, ouviu exatamente um homem e uma mulher falando em voz alta. Dizia o homem: "meu amor", respondia a mulher: "my love"; dizia o homem: "minha querida", respondia a mulher "my darling"; dizia o homem "minha vida", respondia a mulher "my life"; dizia o homem "meu sonho", respondia a mulher "my dream". Foi aí que o gerente se irritou, usou a chave mestra, invadiu o apartamento para tomar uma atitude. Foi então que o gerente ficou com a cara deste tamanho, quando o professor pediu licença à sua aluna e lhe perguntou se também queria aprender inglês.



                                                                      *  *  *